'Coisa julgada': STF analisa recursos contra julgamento que autorizou revisão de decisões tributárias

OAB e Fiesp apresentaram pedido para esclarecer entendimento

O Supremo Tribunal Federal (STF) analisa nesta quinta-feira recursos apresentados contra a decisão da Corte que autorizou a revisão de decisões tributárias. Em fevereiro, os ministros decidiram que uma decisão tributária que já tenha transitado em julgado (quando não há mais recursos) perde seus efeitos se, posteriormente, há um julgamento em sentido contrário pelo STF.

A pauta de julgamento do STF consta com seis embargos de declaração contra o julgamento, um tipo de recurso utilizado para esclarecer pontos da decisão. Eles foram apresentados pela Ordem de Advogados do Brasil (OAB) e pela Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), entre outras entidades.

O julgamento discutiu os chamados "limites da coisa julgada em matéria tributária". A decisão teve repercussão geral, o que significa que terá que ser seguida por tribunais de todo o país.

Com o resultado do julgamento de fevereiro, o contribuinte que discutiu a cobrança de um tributo na Justiça e teve a ação encerrada a seu favor — dessa forma, deixando de pagar um tributo — perde esse direito se, tempos depois, o STF julgar o tema e decidir que a cobrança é devida. Dali em diante ele terá que voltar a pagar o tributo.

A OAB considerou que não ficou esclarecido em que momento que os efeitos da "coisa julgada" deixam de valer. Já a Fiesp questiona que as teses firmadas no julgamento foram mais abrangentes do que os casos concretos discutidos.

Em manifestação nos processos, a União argumentou que não há qualquer "omissão, obscuridade, contradição ou erro material" no julgamento e que o objetivo dos embargos é apenas reabrir a discussão.


Fonte: O Globo 

 

Galeria de Imagens
Outras Notícias
Denúncia espontânea não se aplica em caso de compensação, decide Carf
Carf afasta PIS sobre correção de provisão técnica de sociedade de capitalização
Portaria sobre compensação tributária deve gerar judicialização, dizem advogados
STF decide que crédito presumido de IPI a exportadoras não integra o PIS/Cofins
Receita Federal regulamenta a ''Autorregularização Incentivada de Tributos'' para contribuintes com débitos fiscais
Os detalhes da MP que limita compensação tributária e reonera a folha
Entra em vigor lei que altera regras de tributação de incentivos fiscais
Ministério da Fazenda anuncia medidas que asseguram a sustentabilidade fiscal
Lula sanciona com veto lei complementar que faz alterações na Lei Kandir
MP de reoneração da folha de salários prevê alíquota cheia a partir de 2028
Justiça Federal condena dois empresários do ramo frigorífico a penas de quatro anos por sonegação fiscal
Crédito presumido de IPI no PIS/Cofins: vence posição próxima à 'tese do século'
Após votação histórica, Congresso promulga a Reforma Tributária. Veja o que muda nos impostos
RFB regulamenta regularização de créditos tributários decorrentes de decisões em favor da Fazenda Nacional com base no voto de qualidade no CARF
Repetitivo vai decidir sobre legalidade da inclusão de PIS e Cofins na base de cálculo do ICMS
STJ decide que PLR de diretor não pode ser abatida do IRPJ e da CSLL
Fazenda ainda luta por manutenção de vetos à multa qualificada e garantias
Câmara aprova medida provisória da tributação dos incentivos fiscais
Novas restrições ao uso de prejuízo fiscal e base de cálculo negativa na transação
Sancionada lei com nova tributação para fundos de investimentos e offshores
ICMS-ST também não compõe a base de cálculo de PIS e Cofins, decide STJ