Receita retém 3,1% das declarações do Imposto de Renda na malha fina; veja os principais motivos

No total, quase dois milhões de contribuintes tiveram as declarações retidas pelo fisco. Nesta sexta, foi liberada a consulta ao quinto lote de restituição

A Receita Federal informou nesta sexta-feira que 1.954.814 de declarações foram retidas em malha fiscal, a popular malha fina. Esse número representa 3,1% do total de documentos entregues, segundo o órgão, que divulgou nesta sexta-feira o balanço das declarações de Imposto de Renda 2023.

Também nesta sexta-feira, a Receita liberou a consulta ao quinto e último lote de restituição do IR 2023, quando será pago R$ 1,9 bilhão para 1,2 milhão de contribuintes. O pagamento do lote será realizado na próxima sexta-feira, dia 29, e cai direto na conta informada pelo contribuinte no momento de entrega da declaração.

Com isso, a receita encerra o pagamento de todas as restituições do exercício 2023 que não apresentaram inconsistência. Entre março e setembro de 2023, a Receita Federal recebeu 43.481.995 declarações do IRPF 2023, ano-base 2022.

Confira os principais motivos para ter a declaração retida

58,1% - Deduções, sendo as despesas médicas o principal motivo de retenção (42,3% do total de motivos de retenção).

27,6 % - Omissão de rendimentos sujeitos ao ajuste anual de titulares e dependentes declarados.

10,0% - Divergências entre os valores de Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) entre o que foi informado na DIRF e o que foi declarado pelas pessoas físicas nas DIRPF.

4,3% - Deduções do Imposto devido, recebimento de rendimentos acumulados e divergência entre os valores declarados de carnê-leão e imposto complementar e os valores efetivamente recolhidos.

Como consultar se vou receber o quinto lote?

O contribuinte deve acessar o site do governo federal para saber se tem acesso ao quinto lote da restituição. Basta seguir o passo a passo abaixo:


Acesse o site do governo federal, na aba 'Consultar restituição de imposto de renda'

Digite o número do seu CPF;

Digite a data de nascimento;

Selecione o ano em exercício. Neste caso, selecione a opção '2023'.

Se quiser informações mais detalhadas, basta ir ao portal e-Cac. Lá será possível saber o status de sua declaração e ainda descobrir se ficou alguma pendência ou divergência e se sua declaração caiu na 'malha fina'. No e-Cac ainda é possível fazer a retificação de eventuais erros encontrados em sua declaração. Para acessar é preciso CPF, código de acesso (que você mesmo tem de gerar) e senha.


O valor é atualizado pela taxa Selic, acumulada a partir do mês seguinte ao do prazo final de entrega da declaração até o mês anterior ao pagamento, mais 1% no mês do depósito.


Meus dados bancários estão errados. O que fazer?

Caso o contribuinte perceba que a declaração foi enviada com algum erro bancário ou ele queiraalterar o destino da restituição, é possível solicitar a sua correção. Para isso, é preciso entrar em contato com a Central de Atendimento do Banco do Brasil:


4004-0001 (capitais)

0800-729-0001 (demais localidades)

0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos)

Como saber se estou com alguma pendência no IR?

 

O contribuinte também pode solicitar informações mais detalhadas a respeito da sua declaração. Para isso, o consumidor deve utilizar o canal Meu Imposto de Renda, disponível no Portal e-CAC ou pelos aplicativos para smartphone e tablets.

Assim, o contribuinte pode consultar o extrato para entender o que aconteceu com a declaração e qual é a situação. Caso necessário, entregue uma declaração retificadora (ou seja, uma nova declaração, que corrige a anterior).

Caso o resultado da declaração retificadora seja de imposto a restituir, o valor excedente pago de imposto será devolvido na conta bancária indicada na própria declaração.


Fonte: O Globo 

Galeria de Imagens
Outras Notícias
Denúncia espontânea não se aplica em caso de compensação, decide Carf
Carf afasta PIS sobre correção de provisão técnica de sociedade de capitalização
Portaria sobre compensação tributária deve gerar judicialização, dizem advogados
STF decide que crédito presumido de IPI a exportadoras não integra o PIS/Cofins
Receita Federal regulamenta a ''Autorregularização Incentivada de Tributos'' para contribuintes com débitos fiscais
Os detalhes da MP que limita compensação tributária e reonera a folha
Entra em vigor lei que altera regras de tributação de incentivos fiscais
Ministério da Fazenda anuncia medidas que asseguram a sustentabilidade fiscal
Lula sanciona com veto lei complementar que faz alterações na Lei Kandir
MP de reoneração da folha de salários prevê alíquota cheia a partir de 2028
Justiça Federal condena dois empresários do ramo frigorífico a penas de quatro anos por sonegação fiscal
Crédito presumido de IPI no PIS/Cofins: vence posição próxima à 'tese do século'
Após votação histórica, Congresso promulga a Reforma Tributária. Veja o que muda nos impostos
RFB regulamenta regularização de créditos tributários decorrentes de decisões em favor da Fazenda Nacional com base no voto de qualidade no CARF
Repetitivo vai decidir sobre legalidade da inclusão de PIS e Cofins na base de cálculo do ICMS
STJ decide que PLR de diretor não pode ser abatida do IRPJ e da CSLL
Fazenda ainda luta por manutenção de vetos à multa qualificada e garantias
Câmara aprova medida provisória da tributação dos incentivos fiscais
Novas restrições ao uso de prejuízo fiscal e base de cálculo negativa na transação
Sancionada lei com nova tributação para fundos de investimentos e offshores
ICMS-ST também não compõe a base de cálculo de PIS e Cofins, decide STJ