Em reversão de entendimento, Carf tributa PLR paga a diretor de empresa

Pelo placar de cinco votos a três, a 2ª Turma da Câmara Superior do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) decidiu que incide contribuição previdenciária sobre os valores pagos a diretores não empregados a título de Participação nos Lucros e Resultados (PLR). No ano passado, a turma havia decidido afastar essa incidência com a aplicação do desempate pró-contribuinte.

Agora o entendimento vencedor foi de que os diretores não se caracterizam como “empregados”, e portanto não se encaixariam no disposto no artigo 2ª da Lei 10.101/00, que prevê que a PLR será objeto de negociação entre empresa e empregados. Como o valor pago não segue o disposto na norma, integra o salário de contribuição, sofrendo a incidência de contribuição previdenciária.

A advogada do contribuinte, Mariana de Vito, do Trench Rossi Watanabe, argumentou que a Lei 10.101/00, em seu artigo 1º, dispõe que a legislação vai regulamentar a PLR nos termos do artigo 7º, inciso XI da Constituição Federal, e cita o termo “trabalhadores”, e não “empregados”, como consta no artigo 2º.

Dessa forma, no entendimento da defesa, os trabalhadores teriam direito à participação nos lucros desvinculada da remuneração, de acordo com a o artigo 7º da Constituição Federal, o que inclui os diretores não empregados, aqueles que não tem vínculo CLT.

“A Constituição Federal trata de trabalhadores e prevê uma regra de imunidade para pagamento feito aos trabalhadores quando recebem participação em lucros mesmo que eles participem da gestão da empresa”, defendeu a advogada.

O relator, conselheiro João Victor Ribeiro Aldinucci, concordou com a defesa. Segundo ele, a Lei 10.101/00 não faz distinção entre classe de trabalhadores, e o artigo 7º da Constituição prevê que o pagamento de lucros e resultados é um direito do trabalhador.

“Como o constituinte não quis diferenciar os trabalhadores, tenho entendido no sentido de que há sim possibilidade de aplicação da Lei 10.101/00 para os diretores estatutários”, disse.

O conselheiro Marcelo Milton da Silva Risso, representante dos contribuintes, defendeu a incidência de contribuição previdenciária. “Sempre tento revisar meus posicionamentos e acabei revisando posicionamento no sentido de não aplicar a Lei 10.101 nesses casos”, disse.

A conselheira Miriam Denise Xavier também divergiu do relator e ressaltou que os demais incisos do artigo 7º da Constituição Federal são verbas destinadas a empregados. “Por mais que seja direito de trabalhadores, entendo que é sinônimo de empregados. São direitos trabalhistas, e não de pessoas que não têm vínculo empregatício”, afirmou.

O processo, que envolve a LPS Brasil – Consultoria de Imóveis S.A, tramita com o número 19515.720979/2017-11.

Mudança de entendimento

Em agosto de 2022, a mesma turma decidiu pelo desempate pró-contribuinte por afastar a incidência de contribuição previdenciária em um caso de PLR paga a diretor não empregado. O processo é o 16682.720290/2014-23, da IRB-Brasil Reeseguros S.A.

Na ocasião, o então presidente do Carf, Carlos Henrique de Oliveira, votou a favor do contribuinte, considerando que a isenção abrange empregados e trabalhadores da empresa. Marcelo Milton da Silva Risso, que foi relator do processo, já naquela oportunidade votou pela possibilidade de incidência.

Fonte: JOTA

Galeria de Imagens
Outras Notícias
Denúncia espontânea não se aplica em caso de compensação, decide Carf
Carf afasta PIS sobre correção de provisão técnica de sociedade de capitalização
Portaria sobre compensação tributária deve gerar judicialização, dizem advogados
STF decide que crédito presumido de IPI a exportadoras não integra o PIS/Cofins
Receita Federal regulamenta a ''Autorregularização Incentivada de Tributos'' para contribuintes com débitos fiscais
Os detalhes da MP que limita compensação tributária e reonera a folha
Entra em vigor lei que altera regras de tributação de incentivos fiscais
Ministério da Fazenda anuncia medidas que asseguram a sustentabilidade fiscal
Lula sanciona com veto lei complementar que faz alterações na Lei Kandir
MP de reoneração da folha de salários prevê alíquota cheia a partir de 2028
Justiça Federal condena dois empresários do ramo frigorífico a penas de quatro anos por sonegação fiscal
Crédito presumido de IPI no PIS/Cofins: vence posição próxima à 'tese do século'
Após votação histórica, Congresso promulga a Reforma Tributária. Veja o que muda nos impostos
RFB regulamenta regularização de créditos tributários decorrentes de decisões em favor da Fazenda Nacional com base no voto de qualidade no CARF
Repetitivo vai decidir sobre legalidade da inclusão de PIS e Cofins na base de cálculo do ICMS
STJ decide que PLR de diretor não pode ser abatida do IRPJ e da CSLL
Fazenda ainda luta por manutenção de vetos à multa qualificada e garantias
Câmara aprova medida provisória da tributação dos incentivos fiscais
Novas restrições ao uso de prejuízo fiscal e base de cálculo negativa na transação
Sancionada lei com nova tributação para fundos de investimentos e offshores
ICMS-ST também não compõe a base de cálculo de PIS e Cofins, decide STJ